segunda-feira, 27 de maio de 2013

Entrevista com Laura Kim

Laura Kim Barbosa é uma ativista dos Direitos Animais, vegana e é autora do site Veganismo Brasil (www.veganismo.org.br) e do blog Laura Vegan (www.lauravegan.blogspot.com)

Sobre o Veganismo: Muito obrigado pela entrevista! Você encontra muitas dificuldades como ativista? Poderia nos dizer um pouco como você lida com elas?
Laura Kim: Olá, Felipe! Acho que a maior dificuldade é a financeira, pois as ideias são mil, mas creio que como tudo na vida, devemos dar um jeito. Nós humanos temos sempre uma saída, não é o caso dos animais.

Sobre o Veganismo: O que devemos fazer para alcançar a libertação animal o mais rápido possível?
Laura Kim: É nosso dever como humanos repassar a mensagem adiante, temos poder de comunicação, somos vistos e ouvidos . Mostrar a realidade da exploração animal e alternativas de como viver bem sendo vegan. A união realmente faz a força, unir-se com pessoas com mesmo propósito de vida e juntos agir pelos animais. Quanto mais pessoas se importarem com animais, mais impacto na sociedade; assim, hábitos ruins como maltratos aos animais acabam por se tornarem mal-vistos.

Sobre o Veganismo: Como, quando e por que você se tornou vegana?
Laura Kim: Tornei-me vegan em 2003 ao ler uma revistinha informativa do Instituto Nina Rosa, continha leituras sobre rodeio, testes em animais em laboratório, veganismo, proteção de cães e gatos etc. Achei que tudo fazia sentido, então na mesma tarde tornei-me vegan. Ainda tinha alguns produtos não veganos em casa, coloquei tudo numa sacola e doei para uma vizinha.

Sobre o Veganismo: Algumas pessoas tentam usar a religião como justificativa para resistirem ao Veganismo. Como você acredita que devemos dialogar com essas pessoas?
Laura Kim: Minha opinião é: não perca tempo. Há tantas pessoas que têm a mente aberta e podem se tornar veganas, então por que ficar dialogando com quem tem a mente fechada? Meu sistema é: repassar a informação uma vez. Cabe à pessoa aceitar ou não.

Sobre o Veganismo: Os veganos deveriam militar pelo bem-estarismo? Por quê?
Laura Kim: Olha, antes bem-estar do que mal-estar... Mas ativismo vegano deve pautar-se no Veganismo, que é o modo de viver livre de exploração animal, e mostrar alternativas de bem-viver vegano.

Sobre o Veganismo: Você já influenciou muitas pessoas a se tornarem vegana? Como? Poderia dar conselhos de como os veganos devem agir ao abordar e divulgar o Veganismo?
 Laura Kim: Sim, tenho inúmeros depoimentos de pessoas que hoje são veganas. É muito gratificante ser um canal pelo qual as pessoas têm acesso à informação. Creio que elas seriam vegans de todo modo, mas enfim, é maravilhoso viver realizando nossos objetivos. 

Sobre o Veganismo: Poderia falar um pouco sobre a questão da alimentação e dos testes em animais? É seguro ser vegano do ponto de vista nutricional? E as pesquisas médicas com animais, se as abolirmos, como salvar a vida dos seres humanos sem realizar essas pesquisas?
Laura Kim: Sim, com absoluta certeza é seguro ser vegan do ponto de vista nutricional. Eu mesma sou vegana há mais de uma década e não era tão saudável antes como sou hoje em dia. Mas não basta retirar os derivados animais da dieta para ser saudável: é preciso fazer substituições saudáveis e naturais. Felizmente, a internet é uma ferramenta preciosa de boa informação, com a qual podemos contar gratuitamente.
Sobre testes em animais, eles mais prejudicam do que ajudam. Mesmo entre nós, humanos, temos diferenças marcantes, imagina só entre um coelho e um humano, ou entre um rato, etc. Se você der aspirina para um cavalo, ele fatalmente irá morrer, mas em mim não surte efeito nenhum. Há algumas décadas, aqui mesmo no Brasil, o uso do remédio Talidomida contra mal-estares na gravidez foi aprovado para uso humano, por terem sido praticados testes em animais. O que aconteceu então? Uma geração inteira de pessoas mal-formadas nasceu, pois o efeito desse medicamento em humanos é mutilante na gravidez. Esse é só um exemplo...
Vide: "Vozes do Silêncio", de João Epifânio Regis Lima.

Sobre o Veganismo: Há muitos textos de críticas ao Veganismo na Internet, alguns deles contendo material ofensivo. Como os veganos devem reagir a isso?
Laura Kim: Focar no ideal de mundo que se quer viver: mais pessoas tornando-se vegans, respeito aos animais. E procurar espalhar essas sementes com exemplo de vida e ações pelos animais, difundir o Veganismo. Obviamente, ignorando tudo que é contra, pois nunca agradaremos a gregos e troianos. A única maneira de agradar é sendo autêntico.

Sobre o Veganismo: Quais documentários, livros, sites, etc. você recomendaria às pessoas não veganas que estejam assistindo a essa entrevista? Muito obrigado pela entrevista, Laura.
Laura Kim: Super importante: "A carne é fraca", do Instituto Nina Rosa, mostra a realidade dos abatedouros no Brasil.
Livros: "Cozinhando sem crueldade", de Ana Maria Machado, e "Lar Vegetariano Vegan", de Paulo e Ivonete Nakashima. Ambos de culinária!
Leitura alternativa: "A coragem de fazer o bem", do Instituto Nina Rosa.
Sites: Vegan Outreach http://www.veganoutreach.org/(com o tradutor Google online é fácil). Também Veganismo.org.br http://www.veganismo.org.br/

Obrigada você!

A Carne é Fraca: -->>


2 comentários:

  1. Muito boas! Eu só diria que quando se tem conhecimento e paciência suficiente, podemos demonstrar a desonestidade intelectual dos críticos do Veganismo.

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante! Eu ainda não seou vegana, mas estou sempre buscando dicas de comida saudável. Ainda mais depois de fazer este curso e aprender a preparar pratos saudáveis https://www.aprendum.com.br/curso-online-de-culinaria-saudavel/. Aproveito para deixar como dica para quem está buscando um curso para aprender a cozinha comidas saudável. As aulas são ótimas, você pode assistir quando quiser, e o preço é muito bom. Abraço

    ResponderExcluir